Particulas magneticas, liquidos penetrantes, END ensaios nao destrutivos

Tratamento de Resíduos

Descarte de Efluente de ensaio por Líquido Penetrante

Para que a água utilizada na lavagem das peças ensaiadas por Líquido Penetrante possa ser descartada, deve-se atender a legislação vigente na área de localização da planta que utiliza o ensaio. No Estado de São Paulo se aplica o Decreto 8.468 de 08/09/76 que regulamenta a lei 997 da CETESB, nos artigos 18 ao 19A e a Resolução CONAMA nº 20 de 18/06/86 no artigo 21.

Os resíduos devem ser caracterizados de acordo com NBR 10004, no caso da água contaminada com Líquido Penetrante, este resíduo é classe ll (resíduos não inertes). Todo resíduo gerado é considerado tratável perante os órgãos ambientais.

Para que seja efetuado o descarte, é necessário que o interessado esteja de posse da “carta de aceite” de resíduo que será emitida por uma empresa reprocessadora, aterro ou incineradora que possua a liberação do órgão ambiental do Estado.

Com a carta de aceite se faz a solicitação do CADRI (Certificado de Movimentação de Resíduo de Interesse Ambiental) junto ao órgão ambiental, que é uma autorização para descarte do resíduo no local solicitado.

Procedimento para tratamento físico-químico:

Sugerimos como rotina para tratamento da água de lavagem as etapas identificadas abaixo:

 

Para 1000 ml de solução:

Adicionar:

  • 50 mL de solução de Cal a 5%;
  • 50 mL de solução de Sulfato de Alumínio a 10%;
  • 15 mL de solução de polieletrólito a 0,5%.

Aguardar aproximadamente 30 minutos.

Passar por filtro prensa ou leito de secagem.

Descarte de embalagens vazias:

As embalagens vazias não devem ser reutilizadas. Quando possível, enxaguar com solvente apropriado, recolher o solvente usado na lavagem e encaminhar para incineração em instalação autorizada.

Nunca perfure uma lata pressurizada.

tratamento


Estação de Tratamento de Efluentes da Metal-Chek